Companhia de distribuição de gás na Ucrânia suspende fluxos de gás russo

fb-share-icon0

Total de Visualizações 108 

A Ucrânia avisa, que vai suspender o fluxo de gás através de um ponto de distribuição que, é responsável pela entrega de arredonda amente  um terço do gás russo, esse mesmo é canalizado para a Europa através da Ucrânia.

Segundo a Reuters, a GTSOU, que opera o sistema de gás da Ucrânia, adiantou que iria suspender os fluxos através da rota de Sokhranivka já a partir de quarta-feira, declarando motivos de “força maior”. Isto porque, de acordo com a companhia, Moscovo obrigou Kyiv a avançar com esta decisão, na sequência da invasão sobre o país.

Numa declaração, a empresa esclareceu que não poderia operar na estação de gás de Novopskov, devido “à interferência das forças ocupantes nos processos técnicos”. A companhia afirmou, no entanto, que para cumprir as suas “obrigações de distribuição para com os parceiros europeus na sua totalidade”, “transferirá temporariamente a capacidade indisponível” para o ponto de interconexão ‘Sudzha’, que fica em território que é controlado pela Ucrânia.

A Gazprom, disse que era “tecnologicamente impossível” transferir todos os volumes para esse tal ponto de interconexão, e a Gazprom é responsável deter o monopólio das exportações de gás russo por gasoduto.

A estação de compressão Novopskov, na região de Lugansk, no leste da Ucrânia, tem sido ocupada pelas forças russas e combatentes separatistas desde o início do conflito militar – tratando-se da rota de passagem  para cerca de 32,6 milhões de metros cúbicos de gás por dia, o que equivale a um terço do gás russo que é canalizado para a Europa através da Ucrânia, de acordo com a GTSOU.

A Gazprom garantiu ainda, a este propósito, estar a cumprir todas as obrigações para com os compradores de gás na Europa.

Conclusão, após o início da invasão russa, a Ucrânia continua a ser uma importante rota de trânsito do gás russo para a Europa.

 

 

TVSH 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.