Crowdfunding visa angariar 15 000 euros para bodyboarder acidentado em Matosinhos

fb-share-icon0

Total de Visualizações 78 

O bodyboarder Sérgio Magalhães sofreu um acidente na Praia de Matosinhos em outubro de 2021, do qual resultaram fortes deficiências motoras.

 

Uma campanha de crowdfunding visa angariar 15 mil euros para apoiar a nova vida do bodyboarder Sérgio Magalhães, de 48 anos, que em outubro de 2021 sofreu um acidente na Praia de Matosinhos, do qual resultaram fortes deficiências motoras.

A iniciativa promovida pela Associação Portuguesa de Surf Adaptado e pela Federação Portuguesa da modalidade começou na quinta-feira, podendo as contribuições serem feitas através do endereço https://ppl.pt/causas/sergio até as 18h00 de 13 de março.

Na página criada e denominada “O Sérgio precisa de nós” está descrita a situação vivida pelo praticante da modalidade desde os 25 anos: “Foi logo na primeira onda da sessão. Fui ao lip da onda para fazer um rollo, mas falhei o timing e vim com a onda para baixo. Caí mal e o impacto deixou-me logo inconsciente. Felizmente, estava lá um surfista que era médico anestesista e socorreu-me de imediato. Depois fui conduzido para o Hospital de São João, onde trabalho e recebi, inicialmente, o melhor tratamento possível”, conta Sérgio.

O acidente ocorreu no dia 9 de outubro e provocou-lhe “a fratura da C4”, conta o próprio num dos vídeos na página.

Após ter sido operado foi, primeiro, transferido para o Hospital de Valongo, que pertence ao Hospital de São João, onde recebeu tratamento médico especializado em medicina de reabilitação física e, depois, para o Centro de Reabilitação do Norte, em Vila Nova de Gaia, onde ainda se encontra internado, lê-se ainda na informação disponível.

Atualmente, e isso é visível num segundo vídeo, Sérgio Magalhães cumpre “intensivamente com a reabilitação física de que necessita, visando adaptá-lo, o melhor possível, a uma vida futura extremamente dependente”.

À Lusa, o pai do antigo praticante de bodyboard esclareceu que o “prognóstico atual, depois da intervenção cirúrgica, no São João, e da fisioterapia e reabilitação física, em Valongo e em Francelos, passa por uma vida em cadeira de rodas, com a possibilidade apenas de pequenas deslocações apoiado”.

Os 15 000 euros correspondem ao orçamento para adaptar a casa que, entretanto, alugou, à sua nova situação de profunda deficiência (6 000), rampas de acesso (1 000), cadeira de rodas (3 000) e ainda 5 000 euros para cama articulada, cadeira de banho, acessórios da casa de banho e andarilho, descreveu.

Até às 15h00 de hoje, a campanha angariou 7 547 euros, lê-se na página, onde é também destacado que o “restante valor angariado além dos 15 000 euros descritos nos itens anteriores será canalizado para eventuais tratamentos e cirurgias ortopédicas (em Barcelona e nos EUA)”.

Segundo Nuno Vitorino, fundador do movimento de surf adaptado e ele próprio tetraplégico, o próximo passo é lógico, mas trabalhoso: “temos de preparar o Sérgio para a próxima fase da vida dele e toda a ajuda será pouca para o conseguir”, lê-se na publicação.

 

Créditos: Lusa

 

TVSH 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.