FC Porto histórico elimina Juventus e Cristiano Ronaldo na Champions

fb-share-icon0

Total de Visualizações 162 

O FC Porto fez história. Mesmo perdendo por 3-2 no terreno da Juventus e bem cedo a jogar com dez, os “dragões” venceram a eliminatória ( 2-1 na 1.ª mão) e deixaram a “vecchia signora” e Cristiano Ronaldo de fora da Champions. Um golaço de Sérgio Oliveira, de livre direto, no prolongamento, valeu o 2-2 no jogo e a mais que provável passagem aos quartos de final da Champions.

A Juventus entrou a dominar mas rapidamente foi absorvida pela estratégia defensiva e rápidos contra-ataques por parte do FC Porto.

Neste período registaram-se duas grandes oportunidades, uma para cada lado, com Taremi a cabecear ao ferro da baliza italiana e com Marchesín em grande destaque entre os postes dos “dragões”.
E foi num desses arrojados ataques portistas que surgiu o penálti que viria a dar a vantagem ao campeão português, com Sérgio Oliveira a inaugurar o marcador e a dar uma vantagem importante nas contas da eliminatória.
A “Juve” parecia adormecida perante a audácia azul e branca em Turim. Foi criando, a espaços, algumas situações de maior perigo mas encontrou pela frente um Marchesín em grande forma.

O empenho e coragem portistas valeram a vantagem até ao intervalo, com destaque para as investidas de Zaidu, pela esquerda, algo que ia trocando as voltas ao colombiano Cuadrado.

Após o intervalo, o rumo alterou-se cedo. Chiesa marcou (1-1), com assistência de Cristiano Ronaldo, e demonstrou que a equipa italiana vinha mais irrequieta dos balneários.

Pior, pouco depois. Taremi leva 2 cartões amarelos de rajada, um deles por ter pontapeado a bola, e deixa o FC Porto em inferioridade numérica.
Assistiu-se, a partir daqui, a uma avalanche atacante italiana, o que deu frutos, pois Chiesa marcou pela segunda vez (2-1) e empatou a eliminatória destes oitavos de final.
Com cerca de meia-hora para se jogar, o FC Porto apenas ia defendendo, mas teria de atacar mais. O massacre da Juventus prosseguiu, mas passou a ser menos intenso.
Os comandados de Pirlo ainda viram Cristiano assistir, de cabeça, o companheiro espanhol Morata, mas a bola saiu adiantada. A “Juve” trocava a bola, ia desgastando os “dragões” e espreitava os espaços vazios na área portista.
Marega e Sérgio Oliveira ainda tentaram a sorte, mas sem hipóetese de concretização.
Do outro lado, Marchesín foi “grande”, perante um Chiesa inspirado, e assim evitou o pior.
Marega, de novo, a criar lance perigoso, com o esférico a sair ao lado.
Já nos descontos, Cuadrado rematou e a bola no ferro. Sorte, agora, para o FC Porto.
Ninguém marcava, chegou-se ao prolongamento (3-3 na eliminatória).
No reatar do jogo, ambas as equipas estiveram mais cautelosas, a fadiga também ajudou, o que significou um jogo mais lento neste primeiro tempo do prolongamento.
Com os quartos de final à vista, Juventus e FC Porto entraram na reta final desta eliminatória.
Sérgio Conceição apostou num golpe de ataque, fez entrar Toni Martínez. A campeã italiana ia jogando pacientemente à procura do espaço, que os “dragões” não cediam.
Até que, perto do final deste tempo extra, um livre à medida de Sérgio Oliveira, veio reacender a festa azul e branca em Turim. Um golaço, com Cristiano na barreira, mas que acabou no fundo das redes italianas.
Pouco faltava para jogar, mas muito para sofrer. A “Juve” voltou a marcar, fez o 3-2 por Rabiot e rondou a área portista até ao fim. Só que a eliminatória pertencia ao “dragão”, a festa também, assim como os cerca de dez milhões de euros de prémio pela integração no quadro dos 8 melhores da Europa, graças à vantagem da regra do golo fora, a favot do FC Porto por ter marcado mais um do que a Juventus.
Ronaldo era a imagem da desolação.
Notícia : rtp.pt
TVSH 2021

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *