Lançamento do novo single de apresentação do novo álbum do Nuno – Adamastor

fb-share-icon0

Total de Visualizações 99 

“Adamastor” é o nome do segundo álbum de originais de Nuno Alves. Este trabalho resulta
de uma simbiose entre a escrita e composição do cantor Nuno Alves e do produtor Paulo
Pires sendo que a obra resultante foi produzida por Paulo Pires.
O processo de escrita e produção prolongou-se, pelos dois últimos anos e, deste esforço,
resultou o primeiro single “Adamastor” que dá cara a todo o trabalho.
No texto de apresentação do álbum, o jovem músico, natural de Paços de Ferreira
desvenda algumas pistas: “Um clamor sempre nos perseguiu. Passaram anos, repetiramse hábitos, cumpriram-se regras e estabeleceram-se rotinas mas sempre existiu uma voz
com uma força e um impulso invulgares… Sem clarão que o guiasse, acabou por se deixar
aprisionar e adormeceu. Um dia um rugido intenso dessa voz entoou num sopro profundo
que o fez acordar!”
Mensalmente, e ao longo do ano de 2021, os temas serão revelados. Todos eles serão
acompanhados por videoclipe, uma ferramenta que o autor faz questão de preservar.
Com esta música, Nuno revela um pouco mais do “Adamastor” que se encontra
escondido e confessa que este novo trabalho segue um registo pop um pouco diferente
mas no qual o autor se revê mais. Nuno Alves acredita que esta nova versão de si mesmo
era necessária para trazer contemporaneidade ao seu percurso.
Todos temas de apresentação do álbum estarão disponíveis, em todas as plataformas
digitais, sendo o tema “Adamastor” o primeiro a ser revelado num leque de 7 faixas que
compõem o disco do cantor.
Este é o seu segundo trabalho depois de “Dois lados de uma caixa de cartão”, um álbum
que alcançou mais de 1,5 milhões de streams online.

 

 

Um clamor sempre nos perseguiu.
Passaram anos, repetiram-se hábitos, cumpriram-se regras e estabeleceram-se
rotinas mas sempre existiu uma voz com uma força e um impulso invulgares…
Pela sua mística, uns chamaram-lhe instinto, presságio, outros intuição, sexto
sentido ou até sorte…
Houve quem contraria-se a realidade dos que acreditavam e continuavam a
seguir o seu caminho mesmo na sombra da luz.
Apagaram-lhe a crença, condenaram-no à ilusão e negaram a sua própria
existência.
Sem clarão que o guiasse, acabou por se deixar aprisionar e adormeceu.
O tempo foi passando e submerso se deixou ficar, amarrado às cordas da
acalmia. Esperando até que um grito libertador o permitisse escapar.
Permaneceu só…
Um dia um rugido intenso dessa voz entoou num sopro profundo que o fez
acordar!

Noticia : TVSH

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *